ADOÇÃO

A criança adotada pode imaginar seus pais, mesmo que nunca tenha se encontrado com eles. Precisa apenas voltar-se para dentro de si e assim saberá tudo sobre eles, pois eles estão presentes dentro dela. Estão presentes na sua alma. Ela sente como eles, carrega algo como eles e também para eles. Está emaranhada no destino dos pais e suas famílias. Sofre como eles, tem esperança como eles, e aguarda algo que vem pra curar, como eles. Sente-se culpada e quer expiar, como eles, também pela culpa de ter sido separada pela adoção.

Assim como os pais a criança pode se libertar desses emaranhamentos e consequências somente entrando em contato com uma foça espiritual e um movimento do espirito que se encontram para além de tudo o que há de pesado em primeiro plano e que acolhe todos com o mesmo cuidado e os toma a serviço para algo que está além deles. É um serviço através do qual tanto eles quanto outros podem crescer. Pois a adoção é difícil para todos os envolvidos e torna-se um destino comum para eles, através do qual ficam mais humanos, mais amorosos mais incluídos, mais humildes e grandes. 

Deixe um comentário

ten + one =